Cássia Muleta reivindica, junto com moradores, término da obra da subestação no Caladinho

Publicada em


A obra parada tem trazido violência e doenças para moradores do bairro, em Porto Velho

Foto: Divulgação

 

A deputada Cássia Muleta (PODEMOS) esteve, na manhã desta sexta-feira (06), no Departamento de Estradas, Infraestrutura e Serviços Públicos (DER) para reivindicar, junto a moradores, o término da obra de subestação de água tratada que se encontra parada no bairro Caladinho, na capital.
Segundo Ivanilda Cavalcante, uma das moradoras que acompanharam a parlamentar na reunião com o diretor Erasmo Meireles, contou que a obra começou a cerca de 10 anos atrás pela empresa Andrade Gutierrez, contratada há época para realizar as construções, mas, com o decorrer do tempo, a empresa abandonou a obra, deixando um “elefante branco” que traz violência e prejudica a saúde dos moradores do bairro.
“Acabou virando um local onde pessoas usam drogas, assaltos e estupros. À noite já ouvimos gritos de lá, mas não podemos ajudar, só chamar a polícia”, afirmou Ivanilda.
Outro fator agravante é que a subestação fica em frente a uma escola do Governo do Estado. “Antes da obra, ali era um campo de futebol onde as crianças brincavam. Agora as vezes as crianças não tem nem aula pelo perigo que o terreno representa”, lamentou a moradora.
Em resposta, o diretor Meireles chamou uma arquiteta e uma engenheira do Programa de Aceleramento de Crescimento (PAC), as quais explicaram que a obra está agora na responsabilidade do Consórcio Infracon e que, só não voltaram a mexer no local ainda, porque o orçamento do departamento ainda não estava organizada. “Agora já podemos fazer os empenhos e começar a obra”, afirmou uma das servidoras.
O diretor do DER afirmou que, em até 15 dias, as obras voltarão a andar no bairro Caladinho e em outras partes da capital. A deputada Cássia agradeceu o tempo e a atenção do diretor. “O DER sempre vem atendendo as demandas que passamos e sei que vocês conseguirão atender aos anseios dos moradores do Caladinho, que muito sofrem com essa situação”, agradeceu a parlamentar.

 

Texto: Isabela Gomes

Fotos: Francisco Marcos