Vereador Gelson da Hora conta sua versão sobre agressão a ex-mulher, após se apresentar à Delegacia

Publicada em


Vereador Gerson da Hora (MDB-JARU) Foto: Perfil do facebook

 

Em entrevista exclusiva ao Portal P1, o vereador Gelson da Hora (MDB) se pronunciou hoje (16) sobre as alegações de violência contra sua ex-mulher, noticiadas por mídias locais. O parlamentar não compareceu à sessão da Câmara desta segunda-feira. De acordo com Gelson, ele se apresentou à Unisp (Delegacia de Polícia Civil) e à Delegacia da Mulher de Jaru durante a manhã.

Na versão contada pelo vereador ao P1, Gelson da Hora esteve no último sábado (14) na casa da ex-mulher a pedido dela, que alegava querer apenas conversar sobre o comportamento de um dos filhos do casal, separado recentemente. O parlamentar teria recusado o pedido pois descumpriria a medida protetiva que a ex-mulher possui contra ele, mas acabou cedendo à insistência e se deslocou ao local.

Durante a conversa, porém, Gelson contou que a ex-mulher teria se exaltado e o atacado com arranhões e toques forçados, enquanto gritava que ele seria preso. Para se defender, o vereador teria a empurrado ao chão.

“Eu tive que jogá-la de lado no chão, mas não bati nela. Ao jogá-la, ela acabou se machucando e eu saí correndo”, explica. O vereador afirma serem mentirosas as acusações de que teria efetuado socos e pontapés contra a ex-mulher. “Nem em homem eu bato, imagina em mulher. Sou contra isso”, critica.

Ao Jornal Eletrônico Portal P1, Gelson mostrou uma das mãos machucada por arranhões e disse que irá pedir uma medida protetiva contra a ex-mulher. Os dois estiveram juntos por 14 anos e, após dificuldades no casamento, se separaram há cerca de quatro meses. Sobre a medida protetiva que a ex-mulher já tinha contra Gelson, o vereador contou que ela solicitou o pedido, mas não explicou os motivos ao Portal.

Segundo Gelson da Hora, os dois já se envolveram em outras discussões que geraram boletins de ocorrência, mas que essa foi a primeira vez em que houve luta corporal sob a medida protetiva. Apesar de garantir que as alegações de violência (socos e pontapés) são falsas, o vereador não pretende processar a ex-mulher por supostas injúrias ou calúnias. “Eu me preocupo porque estou sendo prejudicado por uma coisa que não fiz, mas tenho minha consciência limpa. Ela já me procurou para pedir perdão e eu perdoei”, conclui.

Sobre a vida pública, Gelson pretende retomar os compromissos na política e contar com o apoio de outros vereadores. “Eu creio que meus companheiros sabem o que eu estou passando e que tudo vai ser resolvido”, pontua. O parlamentar também diz estar à disposição de qualquer pessoa para comentar sobre o assunto.

Gelson da Hora aguarda intimação judicial para prestar novos depoimentos sobre o caso. Por ter se apresentado à Delegacia, o vereador pode responder em liberdade.

O Portal P1 também está entrando em contato com a ex-mulher de Gelson para ouvir o outro lado dos fatos.

 

Jornal Eletrônico PortalP1