Vai a júri popular agricultor acusado de matar a ex-mulher enforcada

Publicada em


Keila dos Santos foi morta asfixiada dentro de uma casa em Governador Jorge Teixeira (RO), em 2017. Sessão do Tribunal do Júri está marcada para o dia 12 de setembro, em Jaru (RO).

Corpo de mulher foi achado dentro de casa pela filha da vítima — Foto: Portal JT/Reprodução

 

Um agricultor acusado de matar a ex-mulher enforcada com uma corda vai a júri popular neste mês de setembro. O crime aconteceu em 23 agosto de 2017, em Governador Jorge Teixeira (RO), que fica a 300 quilômetros de Porto Velho. Adriano de Souza Silva será julgado no fórum de Jaru (RO).

Conforme a Polícia Civil, Keila dos Santos, de 36 anos, foi encontrada morta pela própria filha. O corpo dela estava pendurado por uma corda.

Ao chegar na casa, os policiais notaram que a vítima apresentava lesões no corpo e tinha marcas de sangue no rosto. Também havia sangue em um móvel e parede do imóvel.

Segundo as investigações, Adriano foi até a casa depois do crime confessou que matou a ex-mulher em uma discussão.

De acordo com informações da polícia na época do crime, o agricultor desferiu dois socos na cabeça da vítima, que caiu desmaiada. Em seguida, ele pegou uma corda e amarrou no telhado para pendurar no pescoço da mulher e asfixiá-la.

Depois do crime, o acusado foi para uma propriedade rural e só retornou no fim da tarde.

Na época, o delegado disse que o feminicídio poderia ter sido motivado por ciúmes, já que Keila e Adriano haviam se separado há poucos meses e ela estava em outro relacionamento.

Após o crime, o homem foi detido e levado à delegacia. Na audiência de custódia, o juiz converteu a prisão do então suspeito em preventiva, sem prazo determinado.

A defesa de Adriano chegou a entrar com pedidos de liberdade para ele, mas foram negados. Desde a prisão em flagrante no dia do crime, ele segue preso.

O julgamento no Tribunal do Júri está marcado para o dia 12 de setembro, às 9h, no fórum da cidade de Jaru.

G1 tenta contato com a defesa do acusado.

Por G1 RO

Keila dos Santos foi morta pelo ex-companheiro em 2017, segundo o MP. — Foto: Arquivo Pessoal