Radialista Reis Fernandes é sepultado na tarde desta segunda-feira em Jaru

Publicada em


Momento de extrema comoção e demonstração de dor, na despedida do apresentador do Programa ‘Viola Cabocla’, há praticamente 30 anos.

Cortejo corpo Reis Fernandes
(Foto: Flávio Affonso)

O dia amanheceu cinza, entristecido e entenebrecido pela perda do comunicador que “Derramava Alegria” todas as manhãs.
Foi um momento de extrema comoção e demonstração de muita dor, na despedida do radialista de Jaru, Nelson Reis Fernandes, apresentador do Programa ‘Viola Cabocla’ há praticamente 30 anos.

Vítima de um infarto fulminante no domingo, dia 23 de setembro, Reis Fernandes marcou gerações, com a sua voz médio-grave, entoando de forma cabocla, poemas, versos e canções pela Rádio Nova Jaru FM 94,1 MHZ.

Pessoa influente no município de Jaru, Reis Fernandes foi vereador na quarta legislatura, ocorrida entre os anos de 1997 e 2000. Não quis mais ser político, era realmente apaixonado pelo rádio. Comunicador formador de opinião, diga-se de passagem, opinião extremamente forte, mas nunca desagradável ou polêmica. Pelo contrário, até mesmo quem não concordava, respeitava.

“Reis com sua voz marcante, ao longo dos tempos, foi mudando gerações. Era um profissional atípico, fora do normal. Era muito querido”

Nelson dos Reis Fernandes

Reis Fernandes, foi velado no salão Catequético da Igreja São João Batista, no centro de Jaru. Milhares de pessoas passaram pelo local para prestar a sua última homenagem.

As 3 horas da tarde desta segunda-feira, dia 24 de setembro de 2018, deu-se iniciado o cortejo, que passou por algumas Ruas e Avenidas do município de Jaru, seguido por centenas de veículos e muitas centenas de motocicletas.

Algumas pessoas que ficaram paradas de pé nas calçadas, para também prestar sua última homenagem de forma póstuma, ao comunicador que formava opinião diariamente, no Viola Cabocla, de 4h00 as 8h00, entre segunda, e sábado, há quase 30 anos.

Cortejo Reis Fernandes
(Foto: Flavio Affonso)

O jornalista Flávio Affonso, citou que o cortejo imenso teria feito uma parada na frente da residência onde Reis Fernandes morava com sua esposa, inclusive, o comunicador tinha 4 filhos. Depois teria feito nova parada na frente da emissora de rádio Nova Jaru FM 94,1 MHZ, onde havia um carro de som, que divulgava o último programa apresentado por Reis Fernandes no sábado dia anterior ao da sua morte repentina, o que deixou ainda mais emocionados todos os que passavam e ouviam sua voz ecoando, enquanto o cortejo seguia para o cemitério.

Amigos como Francinaldo Bezerra e o popular cabo Zuza, foram montados em cavalos, seguindo na frente do cortejo, até o cemitério municipal, aonde radialistas de vários meios de comunicação da região, também prestaram homenagens ao comunicador das últimas três décadas, Reis Fernandes.

Reis Fernandes foi sepultado sob muitos aplausos e recebeu diversas homenagens, daqueles que se tornaram fãs depois de ouvintes e que agora, buscam seguir o seu legado, especialmente, os que são comunicadores do mesmo seguimento.

Sepultamento de Reis Fernandes no cemitério municipal de Jaru
(Foto: Flavio Affonso)

Reflexão:

Um dos legados mais importantes deixados por Reis Fernandes, nos leva e faz refletir, sobre o nosso comportamento diário, como comunicadores.
Será que a forma de comunicar, de cada um de nós, tem surtido algum efeito positivo na vida das pessoas que nos desprendem tempo auditivo? Será que nossa comunicação tem promovido algum bem? Será que este bem, tem sido de forma comum? Será que nossa comunicação tem formado opinião da maneira correta, para que se torne legado, como o que foi deixado por Reis Fernandes?

Ficam as perguntas. Perpetuam no tempo, as respostas.

 

 

 

Portal P1/Nelson Salim Salles