Professores são impedidos de participar de assembleia da Adunir que trataria de denúncias de corrupção; PM é chamada

Publicada em


Foto: RondoniaAgora

 

Um grupo de professores da Universidade Federal de Rondônia (Unir) foi impedido de entrar em uma assembleia convocada pela presidência da Associação dos Docentes da Universidade Federal de Rondônia (Adunir), realizada na manhã desta sexta-feira (29), no auditório da CDL de Porto Velho. A convocação seria para tratar sobre denúncias de corrupção na atual gestão.

A alegação do presidente do sindicato, Leonardo Severo da Luz Neto, segundo informou um dos professores impedidos de entrar no local, Marilza Miranda, foi de que eles não estavam em dias com seus débitos sindicais. “Ele alega que tem um mês de debito de contribuição, referente ao mês de maio deste ano, mas isso foi na época que foi proibido de fazer a consignação em folha. Mas no mês de novembro, foi cobrado nossa contribuição normal. A gente não pode ser impedido de entrar em assembleias por causa desse único débito”, disse a professora.

Para impedir a entrada do grupo, a presidência contratou seguranças armados, segundo relatos dos professores. “Apenas seis pessoas estão no auditório da CDL, porque os demais foram impedidos de entrar, na assembleia que iria tratar justamente sobre as denúncias de corrupção”, afirmou Marilza Miranda. A PM foi acionada pelo grupo impedido de entrar.

Agora, os professores que foram impedidos de entrar na assembleia, irão fazer uma autoconvocação permitido pelo estatuto do sindicato para destituir a atual diretoria. “Na verdade, vários membros já pediram renúncia porque não compactuam com as ações do presidente Leonardo Severo”, finalizou a professora Marilza Miranda.

 

Fonte: RondoniaAgora

Professores são impedidos de participar de assembleia da Adunir que trataria de denúncias de corrupção; PM é chamada