Justiça determina prisão do suspeito de matar marido queimado em Vilhena

Publicada em


Vítima sofreu queimaduras de 1º e 2º graus, em mais de 90% do corpo. Segundo Polícia Civil, elementos colhidos apontam para homicídio.

Ozéias Cassimiro de Camargo está foragido da Justiça — Foto: Facebook/Reprodução

A Justiça determinou a prisão preventiva de Ozéias Cassimiro de Camargo, de 33 anos, após pedido da Polícia Civil de Vilhena (RO). Ozéias é suspeito de matar o marido queimado, e está foragido da Justiça. O crime foi registrado na semana passada. Daniel Reis de Camargo, de 38 anos, sofreu queimaduras de 1º e 2º graus, em mais de 90% do corpo.

De acordo com a Delegacia Especializada na Repressão de Crimes Contra a Vida (DERCCV), a prisão foi decretada no sábado (29). “Representamos pela prisão preventiva de Ozéias, depois de colhermos elementos que apontam para homicídio, mas as investigações do caso continuam”, enfatiza o delegado Núbio Lopes de Oliveira

O advogado Roberto Mailho, que defende Ozéias, já tomou conhecimento do mandado de prisão e diz que entregou os celulares da vítima e do cliente para perícia da Polícia Civil. “A perícia vai mostrar que versões apresentadas por testemunhas são contraditórias, e vai ser suficiente para revogar a prisão decretada. Estamos avaliando sobre a apresentação de Ozéias”, afirma.

As pessoas que tiverem informações sobre a localização de Ozéias pode informar a Polícia Civil, através do número 197, ou a Polícia Militar (PM), pelo 190.

Daniel (de azul) e Ozéias (de branco) estavam juntos há mais de 10 anos — Foto: Facebook/Reprodução

Daniel (de azul) e Ozéias (de branco) estavam juntos há mais de 10 anos — Foto: Facebook/Reprodução

Crime

Vizinhos contaram à Polícia Militar (PM) que Ozéias jogou gasolina em Daniel, ateou fogo e fugiu. O Corpo de Bombeiros socorreu Daniel com vida e o levou para o Hospital Regional, onde foi encaminhado para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI). Porém, a vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no dia seguinte.

A mãe da vítima, Irene Angela Machado, de 72 anos, contou ao G1 que chegou a conversar com o filho no hospital. “Ele disse que foi o Ozéias que jogou gasolina nele e colocou fogo. Ele disse que não queria morrer”, lamentou a idosa.

Já na versão de Ozéias, Daniel teve uma crise de ciúmes, jogou gasolina em ambos e ateou fogo. Depois disso, Ozéais teria fugido, porque ficou com medo da reação de familiares da vítima.

“Meu cliente disse que foi um suicídio. O Daniel queria se matar e matar o Ozéias. O Ozéias também teve queimaduras”, alegou o advogado Roberto Mailho.

Segundo familiares, Daniel e Ozéias estavam juntos há mais de 10 anos. Eles oficializaram a união em junho de 2013.

Por Eliete Marques