Homem preso por engano no Paraná não era o assassino do radialista Queem de Jaru, RO

Publicada em


Queen foi morto a facadas em 2004, próximo da rádio Interativa.
Foto: Arquivo

 

Nelson Benigno foi preso por engano, devido ter o mesmo nome e sobrenome do suspeito de ter matado a facadas o radialista Queem em 2004 em Jaru, RO.

 

As procuradoras do sernho r Nelson emitiu uma nota a imprensa informando o Homônimo ( nome idêntico ao sentenciado).

 

Veja a nota na integra:

 

NOTA A IMPRENSA:

As procuradoras do Sr. Nelson Benigno, vem através dessa informar que o

homem PRESO, na data de 13 de março de 2020, no estado do Paraná e que

ficou detido na cidade de Cascavel, NÃO SE TRATA do assassino de

“queem”.

Ocorre que, o Sr. Nelson, possuí um HOMÔNIMO (nome idêntico ao do

sentenciado), e por conta disso foi confundido com o indiciado.

Há que se mencionar que a data de nascimento e documentos pessoais em

geral NÃO SÃO OS MESMOS.

O equívoco na prisão foi retificado pelo poder judiciário do estado do

Paraná, que acolheu a liminar no “habeas corpus liberatório” impetrado no

plantão judiciário na data de 14 de março de 2020. O alvará de soltura foi

emitido no próprio sábado devido a notória comprobação da existência de

homônimo, colocando em liberdade um inocente que foi preso por engano

alvará de soltura anexo.

Desta feita, requesta-se pela imediata retificação das matérias veiculadas e

a imediata retirada das fotos de um inocente na qualidade de culpado.

Aguardamos e estamos confiantes de que não sejam necessárias as

medidas judiciais cabíveis.

Procuração e alvará de soltura anexos.

 

Atenciosamente.

Nayara Molina de Carvalho

OAB-PR 62.817

Maria Carolina da Costa de Oliveira

OAB-PR 64.777

 

PROCURAÇÃO