Fraudes nas eleições da Assembleia Legislativa e funcionários fantasmas são alvo de operação da Polícia Federal em RO

Publicada em


A ação da PF aconteceu logo nas primeiras horas da manhã desta quinta. PF também investiga Idaron, pecuaristas e Frigoríficos.

PF cumpre mandados na ALE nesta quinta, 5, em Porto Velho — Foto: Fábio Diniz/Rede Amazônica

 

Servidores públicos, o Idaron, Frigoríficos, empresários e as eleições para a presidência da Assembleia Legislativa de Rondônia, foram alvos de operação da Polícia Federal, já nas primeiras horas desta quinta-feira, dia 05 de dezembro.

Conforme a PF, que está a frente da Operação Feldberg, foram descobertas irregularidades no alto escalão da Assembleia Legislativa de Rondônia, como fraudes na eleição da presidência da casa, além da prática ilícita conhecida como “rachadinha”, na qual assessores “fantasmas” ou funcionários coniventes da casa de leis estadual, repassavam mensalmente parte de seus vencimentos para as contas bancárias das pessoas apontadas durante a investigação da PF.

O presidente da ALE/RO Laerte Gomes e o deputado Jean de Oliveira tiveram seus gabinetes alvos da Operação da PF. A assessoria de comunicação da ALE/RO informou que tudo o que os agentes federais pediram até o momento, foram atendidos. “Documentos, gabinetes, relatórios. Tudo isto já foi repassado aos agentes, conforme quiseram e pediram, através dos mandados”, disse uma pessoa ligada ao setor de comunicação.

A informação é que as contas bancárias dos investigados já estariam bloqueadas. Todos os bens dos envolvidos, como, imóveis teriam sido sequestrados pela justiça. “Juntando tudo, pode chegar a R$ 500 milhões de bens e valores bloqueados”, informa a imprensa da capital.

MP/RO (Ministério Público de Rondônia) e a Polícia Federal estão juntos no cumprimento dos mandados, das apreensões. São pelo menos 200 policiais e 50 veículos — viaturas — participando ativamente das operações, sem contar com o ‘pessoal de apoio’.

Uma das informações já divulgadas dá conta de que ao menos onze mandados de prisão preventiva, três mandados de prisão temporária, dez mandados de suspensão do exercício da função pública e cinquenta e dois mandados de busca e apreensão na capital, Alta Floresta, Vilhena, Ji-Paraná, Alto Alegre dos Parecis, Humaitá e Cuiabá, estão sendo cumpridos.

Nota da Assembleia Legislativa de Rondônia

A Assembleia Legislativa de Rondônia está colaborando com as investigações da Operação FELDEBERG, desencadeada na manhã desta quinta-feira, entregando documentos e informações pedidas pelas autoridades judiciárias.

Comunicação Assembleia Legislativa de Rondônia.

 

Jornal Eletrônico PortalP1