Adelino Follador vê excessos na fiscalização de madeireiras em Rondônia

Publicada em


Deputado diz que secretário privilegia Capital nas ações contra pandemia
Adelino vê excessos na fiscalização de madeireiras em Rondônia

O deputado Adelino Follador (DEM) disse nesta terça-feira (26), durante sessão plenária, que é a favor de punir quem trabalha de forma irregular, mas condenou a forma de atuação dos órgãos de fiscalização que, segundo ele, está inviabilizando o setor madeireiro no interior do Estado com intervenções radicais e sem critérios legais.

O parlamentar citou o caso de Cujubim, que, conforme avaliou, já sofre com o desemprego e tende a ficar em situação agravada com a decisão da juíza federal amazonense Jaiza Maria Pinto Fraxe, que obriga os órgãos federais a realizarem ações permanentes de repressões em vários municípios. Em Rondônia, mais especificamente em Cujubim, Nova Mamoré e Buritis.

Follador falou ainda que os recursos do auxílio da merenda escolar ainda não estão chegando a todos os lares dos estudantes carentes em Rondônia. O dinheiro, que seria usado para a compra alimentos, deveria ser destinado agora, com a paralisação das aulas, às famílias dos alunos.

Durante o discurso, criticou também o secretário estadual de Saúde, Fernando Máximo. Segundo o deputado, Máximo privilegia ações contra a pandemia em Porto Velho e não tem visitado e procurando solucionar os problemas no interior de Rondônia. “Ele não é secretário da Saúde de Porto Velho, mas de todo o Estado,” externou da tribuna.

 

 

Texto: Antônio Pessoa-ALE/RO

Foto: Marcos Figueira-ALE/RO